Felipe Jucá

Paz e bem!

Textos

             A aniversariante que dá presente

          1. A aniversariante é Salvador. A capital da Bahia, primeira capital do Brasil foi fundada no dia 29 de março de 1549. Fez, portanto, esta semana, 467 anos.
          Ninguém vai dizer que estou mentindo quando afirmo que Salvador é um presente de Deus; ou dos deuses, se preferirem. É fato: ela é bela! É doce; alegre; é diferente!
          2. Cidade canora e de inesquecíveis canções e modinhas. Cidade de todas as raças; de todas as cores; de todas as religiões; de todos os santos e santas. Cidade da beata Irmã Dulce(1914-1992) e da soror Vitória da Encarnação (1671-1715), a clarissa esquecida.

          3. Cidade dos Orixás de respeitados Terreiros; cidade do Nosso Senhor do Bonfim, por todos amados; até pelos incréus, agnósticos e ateus.           
          Dizer mais o quê sobre Salvador? Dizer mais é insistir no "óbvio ululante", aproveitando a conhecida expressão do Nelson Rodrigues.
          4. "A aniversariante que dá presente", este o título desta modesta crônica. Ô, não é a aniversariante que ganha presentes? Por que, então, inverter os papeis? Que história é essa? Explico.
          5. É que Salvador, meu caro, não precisa de mais nada: tem de sobra o carinho de seus filhos e o abraço amigo e agradecido dos que a visitam e dos que a adotaram como sua segunda terra; eu por exemplo, que aqui vivo há mais de meio século.
          6. O presente que a aniversariante se dispôs a dar - pedi-lhe permissão para escolher - é uma das mais belas imagens de uma de suas igrejas, a de São Francisco, no Terreiro de Jesus, Centro Histórico de Salvador.
          Refiro-me à imagem de São Pedro de Alcântara, franciscano capuchinho, uma verdadeira joia.  
          7. Segundo os estudiosos e os mais afamados críticos de arte do mundo essa imagem "é o que se pode chamar de uma imagem perfeita".           
          Emocione-se, visitando-a. Ela está numa das capelas laterais (a primeira à direita) do suntuoso santuário seráfico de Salvador.
          8. Frei Pedro nasceu na cidade de Alcântara, Espanha, no ano de 1499. Ao ingressar na Ordem dos Frades Menores, perdeu o nome de batismo, Juan de Gavarito y Vilela de Sanabria, e passou a se chamar Pedro de Alcântara.
          9. Foi ordenado em 1524, com vinte e cinco anos.  No púlpito, foi um dos maiores oradores sacros do seu tempo. São Pedro de Alcântara morreu no dia 18 de outubro de 1562 e foi canonizado pelo Papa Clemente IX em 28 de abril de 1669.
          10. O que pouca gente sabe é que o Papa Leão XII, atendendo um pedido formal e solene do Imperador Pedro I, nomeou, em 31 de maio de 1826, São Pedro de Alcântara padroeiro do Brasil.
          Um padroeiro discreto, como, aliás, é discreto o padroeiro de Salvador, a aniversariante, São Francisco Xavier, um jesuíta.
     De repente, com a ajuda do seu discreto orago,  o Brasil sai desta enrascada em que se meteu. Não custa nada pedir: São Pedro de Alcântara, rogai por nós... 
Felipe Jucá
Enviado por Felipe Jucá em 30/03/2016
Alterado em 30/03/2016


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras