Felipe Jucá

Paz e bem!

Textos


               Minha querida Salvador

     
1. No último dia 29 de março, a sonorosa capital da Bahia, aniversariou - 470 anos. Parabéns, minha querida Salvador!
     
2. Alguém me disse, que os governos, do Município e do Estado, gastaram uma nota com a festança, comemorando a data.
     
3. Nada a censurar se a despesa, para custear o evento, fosse extremamente indispensável. Me parece, entretanto, não ser o caso de Salvador, cidade festeira vinte e quatro horas. 
     
4. Declaração de amor. Depois de Fortaleza - sou cearense -, Salvador, que ja foi chamada de Cidade da Bahia, é a terra que mais gosto. Aqui cheguei em janeiro de 1957; e daqui nunca mais saí. 
     
5. De primeira, encantei-me com o céu, o mar e as praias soteropolitanas, de Itapoan à Ribeira. E mais do que isso, encantei-me com o povo de Salvador, gente alegre e hospitaleira. "Olá, meu Rei!"
     
6. Além do céu, do mar, das praias e do povo, aderi - na Bahia é importante - aderi, sem um pingo de medo, ao azeite de dendê, ingrediente que não pode faltar na cozinha da Boa Terra. 
     
7. Sem o dendê, não teríamos o caruru, o vatapá, o xim-xim de galinha, as moquecas de peixe e de camarão, os bobós, o abará e o acarajé, a comida predileta dos deuses do Candomblé.
     Alô, Restaurante Iemanjá, que frequento, desde o tempo da saudosa Anália, sua fundadora, idos de 1957.
     
8. Moro, pois, em Salvador, há mais de seis décadas e não tenho do que me queixar. Em Salvador, formei-me em Direito; casei com uma baiana muito especial; fiz dois filhos; plantei uma árvore, que os "homes com as ferramentas" destruíram-lhe as raizes. 
     Alô, meu velho flamboyant! Quantas flores pelo chão!; quanta sombra ao meio-dia!; quanta saudade!
     
9. Salvador me faz feliz! Aqui, Nossa Senhora da Conceição, Oxum, me protege; Senhor do Bonfim, Oxalá, guia meus passos, todos os dias, todas as horas e os minutos, também. 
     
10. Não foi por acaso que Salvador foi escolhida a primeira capital do Brasil. Está nos livros, que Dom João III a escolheu, baseado em pesquisa que dava a baia de Todos os Santos como "o lugar mais conveniente da costa do Brasil". 
     
11. O extraordinário escritor baiano Afrânio Peixoto, no seu "Breviário da Bahia", lembra que, segundo o historiador Frei Vicente do Salvador, os índios da terra dos papagaios "comparavam o Brasil com uma pomba, cujo peito é a Bahia". 
     
12. Ainda o historiador franciscano: que Dom João III, inspirado, "criou a Bahia para que fosse como o coração no meio do corpo". 
     
13. Salvador, portanto, nasceu como o coração do Brasil. Com razão, Caymmi, na sua bela canção "Na Baixa do Sapateiro"  chamou Salvador de a "Terra da felicidade".      
     Diria, neste abraço que dou na aniversariante, que na capital dos baianos a infelicidade não tem vez... 


 
Felipe Jucá
Enviado por Felipe Jucá em 03/04/2019
Alterado em 04/04/2019


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras