Felipe Jucá

Paz e bem!

Textos

                    Silente e bela

                         Nada impele tanto ao devaneio                          como a contemplação do céu.                                         Cammile Flammarion

          
1. Final de tarde fria, com lua cheia, num céu sem nuvens. Este, no momento, é o cenário.      Ali está ela, inteirinha, enorme, brilhante, soberana, silente e bela! Ou ali vem ela...
          
2. Nasceu, faz pouco tempo, encontrando o mundo ainda claro. O sol inda está se despedindo. Lá se vai ele, solenemente, no seu "adeus crepuscular". 
          
3. Daqui a mais alguns minutos, ela estará  sozinha; majestosa; inspiradora... dona absoluta do céu; navegando lindamente!
          
4. Sou um sujeito privilegiado. Porque, Marina, da minha janela, no quinto andar do meu prédio, vejo a lua nascer e se pôr. Dou-lhe as boas-vindas e o abraço de despedida. 
          
5. A lua nasce, Marina, no meu mar, que da janela avisto, e se põe por detrás do arranha-céu mais alto e mais distante, no final do meu bairro, a Pituba, pedaço sagrado da encantadora Salvador de todos os santos e Orixás.
          
6. Acompanho, amiga, todas as fases da lua: nova, crecente, cheia e minguante. Cada fase, um espetáculo sideral; que se repete, mas não cansa. Dirão os católicos, meus amigos: tudo como o Senhor programou...
          
7. O luar. O luar, para este escriba sonhador, Marina, foi sempre e sempre o mais belo espetáculo que a lua oferece. Assim Mario Quintana foi feliz quando disse: O luar, é a luz do Sol que está sonhando". 
          
8. A lua, caladona, Marina, mas inspira poetas, cantadores, repentistas, compositores e cancioneiros como o maranhense Catulo da Paixão Cearense, com o seu "Luar do Sertão", modinha cantada no mato e na cidade...
          
9. Para o conhecido matemático Malba Tahan (1895-1974), no seu livro "Belezas e Maravilhas do céu", a lua "é a eterna silenciosa".           No mesmo livro, Marina, o autor de "O homem que calculava" escreveu: "A conclusão dos astrônomos, confirmada também pelos astronautas é a seguinte: a lua não tem atmosfera". Verdade?
          
10. E prossegue Malba Tahan: "Reina na lua um silêncio eterno, pois, não existe no satélite elemento gasoso que permita a propagação do som, como acontece na Terra". 
          
11. Até certo ponto, amiga, velha e dileta amiga, é bom que ela seja assim. E digo por quê. Porque a lua, Marina, a "lua é dos namorados", como diz, Ângela Maria (1929-2018), em belíssima marchinha carnavalesca que o povo aprovou.
          - "Todos eles, /Estão errados/ A lua é,/ Dos namorados"... "Lua, oh!lua...Não deixa ninguém te pisar".
          Ora, Marina, se a lua é dos namorados, quantos segredos ela guarda nas suas insondáveis entranhas... e que precisam ou devem ser protegidos...
           
Felipe Jucá
Enviado por Felipe Jucá em 17/09/2019
Alterado em 17/09/2019


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras