Felipe Jucá

Paz e bem!

Textos

               Pobres vira-latas


          1. Se vê poucos cachorros vira-latas vagando nas principais ruas, avenidas e praças de Salvador. Não quero garantir que a bela capital baiana, neste particular, seja um irretocável  exemplo. Cuidei de dizer que pouco se vê; não disse nunca se vê.
          
2. É certo que vira-latas são vistos no Centro Histórico; e com maior frequência nos bairros mais distantes do centro da cidade, porque seus moradores, não todos, não se ligam na necessidade de manter limpas suas ruas, avenidas e praças.
          
3. A verdade nua e crua é que os nossos vira-latas nunca foram aceitos pelo povo, que vive a cobrar das autoridades sua captura e consequente prisão. Quando não pedem a sua extinção.
          
4. Recentemente, a imprensa denunciou que o prefeito da cidade paraense de Santa Cruz do Arari tinha autorizado a eliminação sumária dos vira-latas de sua cidade. Justificativa: esses indefesos animais, perambulando pelas ruas, estariam pondo em perigo a saúde de seus munícipes. Interpelado, o prefeito, claro, negou tudo. O Ministério Público decidiu continuar investigando a denúncia.
          
5. Ora, que culpa têm esses modestos cães de viverem ao deus dará? Abandonados por seus donos, as autoridades têm é que ampará-los. E não exterminá-los como, segundo os jornais, quer o nobre prefeito da cidade de Santa Cruz do Arari, no arquipélago do Marajó. 
          
6. O escritor Graciliano Ramos, quando prefeito de Palmeiras dos Índios, Alagoas, também se envolveu com os vira-latas. 
Pasmem! Mandou recolher e eliminar - eu disse eliminar - os cães vadios  (centenas, disse ele) que fossem encontrados zanzando pelas ruas da cidade. Os donos dos cachorros , entre eles o pai do Velho Grace, protestaram com veemência. 
          
7. Sabedor de que seu genitor, Sebastião Ramos, também se insurgira contra sua ordem, Graciliano "mandou o fiscal fiscalizá-lo".
E ao seu pai enviou este recadinho: "Prefeito não tem pai. Eu posso pagar sua multa. Mas terei de apreender seus animais toda vez que o senhor os deixar na rua."
          
8. Pobres vira-latas! Não têm a mesma sorte dos cachorros de raça; estes são tratados com carinho por seus donos e até perdoados quando avançam e mordem um cidadão que inadivertidamente deles se aproximam.
          
9. O vira-lata tem a mesma sorte dos cãezinhos de estimação. Bem cuidados, eles circulam pelas ruas, avenidas e praças das cidades sob o olhar complacente de suas donas que, nem sempre, lhes ensinam que a via pública não é sanitário.

        
Felipe Jucá
Enviado por Felipe Jucá em 12/06/2013
Alterado em 24/10/2019


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras