Felipe Jucá

Paz e bem!

Textos

                                         Mensageiros
             dos mundos longínquos


     1. O ano: 1985. Os jornais anunciavam que o cometa Halley estava de volta ao céu do planetaTerra. Animei-me todo. Sempre tivera uma enorme paixão pelos cometas; e pelo Halley, principalmente.
     2. Minha avó materna, nas horas de contar estórias, eu menino, me falava sobre a visita do Halley, em 1910: -  "Ele aparecia ao cair da tarde,  brilhante e enorme, embelezando o céu do sertão; um verdadeiro espetáculo".
     3. E me dizia como o povo simples do sertão cearense havia se comportando diante do enorme e imponente astro. Segundo minha avó, muitos acreditavam na catástrofe que o cometa iria causar se sua longa e exuberante cauda tocasse, ainda que de leve, no nosso planeta. Nada a estranhar: no início do século XX, pouco se sabia sobre o que acontecia no céu, além de ser a morada de Deus. 
     4. O Halley aparece "de 75 em 75 anos", é o que dizem os astrônomos. Com a chegada de 1985, decorridos, portanto, 75 anos de sua última aparição, o festejado cometa podia aparecer a qualquer momento.  Imediatamente mergulhei nos  crepúsculos,  nas noites e  madrugadas procurando o Halley. E ele? Não apareceu.
     5. Fui informado de que ele passara distante, muito distante da Terra e que por isso fora impossível vê-lo a olho nu. O Halley, agora, só no final em 2061. Oh! E
m 2061 já não estarei mais por aqui... 
     6. Como admirador dos cometas, tive, nas últimas décadas, três decepções. A primeira, em 1973, não vendo o badalado cometa Kohoutek; a segunda, em 1985 não conseguindo ver o cometa Helley; a terceira, em 2014, não conseguindo ver o cometa Ison, anunciado como "o cometa do século". Como imprevisíveis e misteriosos são os cometas! 
     7. Está nos livros, que desde a mais remota antiguidade, "a crença no malefício dos cometas encontra-se nos quatro cantos da terra." Plínio (23 d.C - 79 d.C), respeitado historiador romano, na sua Histoire Naturelle, rgistrava "que os cometas são astros que semeiam o terror".  O pessoal do sertão de minha avó Eulina pensava como ele?
     8. Fico, entretanto, com Descartes (1596-1650) que os chamava de "mensageiros dos mundos longínquos". Os cometas desapareceram. O que estaria acontecendo com eles? Que falem os astrônomos.
Felipe Jucá
Enviado por Felipe Jucá em 21/10/2014
Alterado em 25/10/2017


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras