Felipe Jucá

Paz e bem!

Textos

                   E o papa gostou

     1. Abro meu computador, e na página do Uol, leio: "Presépio em que Maria descansa e José cuida de Jesus comove o papa". Comoveu o papa, e a mim também. 
     2. Mostrei a foto que ilustra a notícia a amigos meus, crentes e ímpios; até àqueles que considero "radicais" que logo disseram tratar-se de "uma blasfêmia". 
     3. Eu, particularmente, jamais imaginei que alguém tivesse a ousadia de modificar o tradicional cenário que conta o nascimento do Menino Deus: Maria, absorta, admirando o  filhote na manjedoura, José discretamente ao lado do berço divino e alguns animais vigiando o Bambino.
     4. Seria o caso de perguntar se alguém teria a coragem de alterar o quadro da "Santa Ceia", de Da Vinci, botando Madalena à direita do Rabino, o que, aliás, é admitido, timidamente, como verdadeiro. Não, não é João que está lá e sim a poderosa Maria de Magdala, o amor de Jesus, dizem por aí.
     5. Mas o assunto aqui gira em torno do presépio "Vamos deixar mamãe descansar", que Francisco ganhou no dia 18 de dezembro, ao  completar 83 anos. No quadro, José aparece ninando Jesus Menino enquanto Maria tira uma sonequinha. 
     6. O autor do novo presépio dá a José a projeção que a Igreja Católica, durante séculos, não lhe deu. O Papa Francisco gostou do presente e até se comoveu. Disse isso aos peregrinos que o parabenizaram, com efusivos aplausos, no dia do seu aniversário.
     7. Comentando, o Pontífice disse: "Vamos deixar mamãe descansar".  E mais: a imagem representa o amor que envolve o núcleo familiar".
E finaliza: "Quantos de vocês têm que dividir a noite entre marido e mulher pelo menino ou menina que chora, chora e chora? Que a mamãe descanse, é a ternura de uma família, de um casamento".
     8. Quero deixar bem claro, que a defesa do Carpinteiro de Nazaré não é feita exclusivamente por mim. Quem sou eu para ser o único defensor do Pai adotivo de Jesus, que sempre considerei um injustiçado.
     9. No seu livro "A infância de Jesus", belíssimo, por sinal, o ex-Papa Bento XVI, comentando a visita dos Reis Magos à gruta de Belém, faz a seguinte observação: 

          - "Ao entrar na casa, viram o menino com Maria, sua mãe, e prostrando-se, adoraram-no" (Mt2,11). 
          Nessa frase, surpreende o fato de faltar São José, de cujo ponto de vista Mateus  escreveu a narrativa da infância; durante a adoração, encontramos junto de Jesus só "Maria, sua mãe".
          Até agora - frisa o teólogo purpurado -  não encontrei uma explicação plenamente convincente para isso".

     10. Ao ver José em destaque - ninando o adotivo - no novo presépio natalino, está justificada a emoção que se apoderou do Chefe da Igreja Romana.
Aplausos demorados para esse Papa que, na cátedra petrina, tem adotado posições apostólicas firmes, claras e definitivas.
Felipe Jucá
Enviado por Felipe Jucá em 22/12/2019
Alterado em 23/12/2019


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras