Felipe Jucá

Paz e bem!

Textos

          Histórias de cuecas

     1. No meu aniversário, recebi três cuecas de presente. Cada qual a mais bonita. Nenhuma samba-canção, que uso, desde que meus cabelos começaram a pratear, consequência inapelável do tempo que passou. Foram três sungas. Não sei por que a pessoa que me presenteou achou que eu devia, na minha idade, usar ceroulas modernas.
     
2. Abro um parêntese para dizer que inda me lembro da minha primeira cueca, presente do meu pai. Para ele eu devia "começar cedo" a usá-la e igual a dele, caprichada samba-canção, fabricada por minha mãe, exímia costureira. Viciei-me na samba-canção. Fecho o parêntese. 
     
3. De repente me deu na cuca escrever sobre a cueca, sua origem e a origem da palavra.      Nos últimos tempos, ela vem ocupando as manchetes dos jornais de grande circulação.           Em algum lugar, li que ela fora usada pelos homens das cavernas e que as primeiras cuecas (tangas) teriam surgido, há mais de sete mil'anos. 
     
4. Fui ao primeiro volume do livro "A Casa da Mãe Joana - Curiosidades nas origens das palavras, frases e marcas", do escritor Reinaldo Pimenta, e lá encontrei: "Cueca - ECO (A) é um elemento que veio do grego e significa domicílio, habitat, como em ecologia. Assim, cueca é o domicílio, a casa ... de quê? Acertou, isso mesmo".
     A cueca é, portanto, o relicário que guarda "aquilo". Certo?
     
5. Das indumentárias que vestem os homens, a cueca continua sendo a peça mais íntima.      Tanto que ainda é considerado um escândalo, em pleno terceiro milênio, um cidadão sair por aí de cueca; ainda mais se for do tipo sunga, nada discreta. Esse cidadão sofre inenarráveis censuras pelo seu exagerado exibicionismo; ou utilização indevida de sua cueca. 
     
6. Há muito tempo, acho que em 1949, um deputado federal brasileiro teve seu mandato caçado por causa de sua cueca.
     Quem acompanha, lendo ou ouvindo, a história do Parlamento brasileiro, tem conhecimento do "escândalo" envolvendo o deputado Barreto Pinto.
     Ele foi sacado da Câmara Federal  por seus pares porque se deixou fotografar de cueca samba-canção; e longe do Parlamento.
     Só que essa foto foi publicada, e com estardalhaço, na mais lida revista da época, "O Cruzeiro". O fato foi reconhecido como "quebra do decoro parlamentar". 
     
7. Diga-se de passagem, que o Barreto Pinto não era uma estrela de primeira grandeza no cenário político nacional. À época, comentava-se que ele tinha a fama de "fanfarrão e bon-vivant".
     Acontece que a matéria, expondo-o ao Brasil conservador de 1949, fora produzida e publicada por dois monstros do jornalismo daquela década: David Nasser e Jean Manzon, o fotógrafo das celebridades.
     
8. Depois do caso Barreto Pinto e sua cueca, episódios parecidos surgiram.
     Vez em quando, os jornais lembram, por exemplo, que certa feita o senhor Eduardo Suplicy, á época senador da República, foi flagrado, nos corredores do Congresso, desfilando de cueca vermelha por cima do seu terno bem-costurado, a pedido de uma emissora de televisão.
     Foi aberta uma sindicância mas não deu em nada. Seus colegas de Parlamento, afinal, concluiram que Suplicy apenas imitara o Super-homem. 
     
9. Mais recentemente, um episódio envolvendo outro senador e sua cueca, virou manchete, acho que em todos os jornais do mundo.
     Acossado pela Polícia Federal, que o fez levantar da cama ao nascer do sol, o senador por Roraima, Chico Rodrigues, foi flagrado escondendo, na sua cueca, 33 mil reais, de origem, disseram os investigadores, suspeita ou duvidosa.
     
10. Foi um Deus nos acuda, até esse parlamentar explicar a origem da grana. Teve seu mandato suspenso; não teve, entretanto, interrompido o recebimento de seus subsídios.      Cumprida a "pena" voltou aos Senado sem contar direito por que escondera os reais na sua cueca.
     
11. Finalizando. Como me propus a investigar, também, a origem da palavra cueca, encontrei, no Wikipédia, a fonte de todos nós, essa definição, que transcrevo, com a certeza de que não estarei pecando: Cueca - "A palavra deriva de "cu", de origem no latim vulgar "culus" que significa "ânos" e de "eca" do grego "eco" que significa domicílio".
     Fica, portanto, definido, que a finalidade da cueca é a de guardar e proteger "aquilo" e não a de promover escândalos.   
  
Felipe Jucá
Enviado por Felipe Jucá em 13/03/2021
Alterado em 14/03/2021


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras